O Declínio da Vida Humana no Brasil

jp-child2

Promotores da Vida

 Todos os direitos do ser humano são aureolados pelo direito e pela dignidade que promovemos da vida humana. Se respeitarmos toda a vida de maneira digna, as leis tenderão sempre a ser voltadas para os homens, mas ao passo que tratamos a vida com iniquidade e com total falta de respeito, esperamos que todas as leis serão sempre contrárias a dignidade da vida como um todo e será sempre contrária ao ser humano.

Qual a gravidade de se roubar uma Televisão? Qual a gravidade de tirar a vida de um inocente? Qual dos atos citados é o mais grave? Mas, e se a lei dos homens permite que uma mãe tire a vida de seu próprio filho, o que ocorrerá?  Roubar, matar e qualquer outro mal que venha a ter espaço entre os homens, se torna menor, relativo. Se desconfigura por completo, torna tudo e todos como uma deformação congênita, de uma existência completamente vazia de sentidos pessoais e sociais, sentidos íntimos de cada ser humano e o sentido coletivo. A vida passa a ser intrusa e qualquer ato que a degenere passa a ser aceito com razoabilidade, mesmo quando nos causam repúdios.

O horror das leis contrárias a vida humana no Brasil tem tomado contornos cada dia mais pesados, mais tristes e mais cinzas. Já por aqui, valia, com alguma dificuldade jurídica, abortar por alguns motivos. O que já era inaceitável, pois corrompe o direito a defesa, já que o feto é tanto vítima quanto a mãe em um caso de estupro.

Hoje, temos mais um traço deste quadro, pintado ora com tons rosas e suaves e outras cores (para distrair pessoas, enquanto se pinta o horror), mas que ao fundo deixará transparecer todo o tom de vermelho, tinto. Cada dia mais, estes tons rubros tomarão conta deste quadro social. Veremos horrores ainda maiores do que o de hoje, 01 de agosto de 2013, em que a lei dos homens no Brasil dispõe sobre a Profilaxia da Gravidez, o que vem a equiparar o dom da vida a uma doença.

Estamos começando, meus caros, a entrar nos demais atos que ofendem gravemente a vida, não somente dos fetos e crianças ainda não nascidas, mas contra a vida de todos, inclusive a minha, a sua e a de nossos netos, pois estamos permitindo que um Estado corrupto decida pelo direito da vida de uns ou de outros, conforme as suas conveniências.

Porém, não somos abortados, e estamos ainda vivos pela grande graça divina, que nos quer mensageiros da vida, combatentes do combate que defenda homens, mulheres, crianças e crianças não nascidas, por todas as vidas concebidas. Vamos ser promotores da vida, dos direitos e da liberdade, sejamos nós homens e mulheres que são capazes de abrir mão de títulos, status e poder para defender estas duas insígnias que carregamos no nosso peito, somos homens e mulheres  de verdade, que crêem na vida, dom de Deus e que somente Ele é o Senhor da vida e mais ninguém, em absoluto.

A Milícia de Santa Maria Brasil está desperta e assume sempre o seu ideal de sempre defender os seus irmãos menores, em uma luta que não visa combater o homem em si, mas o mal das ideologias materialistas, relativistas e anti-humanas.

Com a Doce Virgem Mãe de Cristo, Nossa Senhora e Suserana, lutemos a tempo e a contra-tempo sempre em favor da vida e de sua integra dignidade.

Instituto Familiaris Consortio – Militia Sanctae Mariae – Brasil.