Carta de um sacerdote sírio

Queridos amigos,

Escrevo com grande pesar e com o coração profundamente ferido por toda a violência dos terroristas muçulmanos que tem sacudido diariamente a Síria e também golpeado o Líbano.

Prova disso é o recente ataque terrorista de Beirute, onde um carro-bomba dos rebeldes islâmicos matou mais de quarenta civis e deixou outros cinco feridos.

O medo e horror é visível em nossos olhos. Tudo foi envolvido na dramática espiral de sangue onde centenas de pessoas perdem a vida todos os dias.

Isto, queridos amigos, é só uma gota do oceano de violência que todos os dias nossos irmãos cristãos são obrigados a suportar.

Na Síria, nesse mês agosto em Homs, na aldeia cristã de Marmarita onde há um santuário dedicado à Virgem, os terroristas da Frente Al Nusra ocuparam o antigo castelo, por se uma posição estratégica, e dali realizaram um novo massacre.

Atrocidades indescritíveis foram cometidas contra inocentes civis que tornaram-se vítimas do turbilhão de violência cometido por estas “bestas sanguinárias”: trinta e cinco cristãos foram mortos, não se sabe o número de feridos e mais duzentas mulheres (especialmente meninas) fora sequestradas, literalmente arrastadas a força para escravidão em Der Zor, bastião terrorista da Frente al Nusra.

O destino de cada uma delas ficará marcado pela violência e crueldade com que serão torturadas e estupradas até a morte.

A violência continua na cidade de Damasco, onde ainda hoje os terroristas islâmicos bombardearam o bairro cristão e queimaram mais uma igreja, e é sempre dirigida ao “coração” dos cristãos que não abandonaram sua pátria para poder defender o que há de mais sagrado para todo ser humano: a dignidade humana e o direito de professar livremente sua fé.

O objetivo deles é destruir a qualquer preço todos os lugares que durante dois mil anos têm sido o “berço” do cristianismo e fazer com que todos estejam sob a lei islâmica, como ocorreu no Afeganistão.

Já não há mais lugar seguro para nossos irmãos cristãos, dia após dia, só restou a dor e as lágrimas das mães desesperadas, pois matam seus filhos e sequestram suas filhas, os idosos vivem no silêncio impotentes diante de tanta crueldade, horror e devastação, e os pais sofrem igualmente por não poderem defender suas famílias nem dar-lhes um lugar seguro.

Amigos. Vejo todos os dias imagens de atrocidades como as que tenho contado, ficam em minha mente, e meu coração está cheio de angústia, peço que unam-se a nós em fervente e constante oração ao Imaculado Coração de Maria, nossa mediadora com Deus, para que a semente da paz habite cada coração.

Mais uma vez peço seu apoio, sei que tem feito muito, mas me pedem cada vez mais, necessitamos de toda ajuda que cada um de vocês possa nos dar, ajuda económica e material, por favor, não desconsidere meu clamor, pois é o de milhares de vozes que gritam desoladas e que agora vivem apenas entre a dor e as lágrimas com tudo perdido.

Que o Senhor abençoe a ti e sua família. Seu irmão em cristo.

Padre Nader Jbeil

Diretor da Rádio Sawt em Sama (Síria)

Fonte: Criz de San Andrés Visto em: Confraria de São João Batista.